03/01/2010

Terceira Guerra - By Aranius

Créditos: Portal Wow

Terceira Guerra

Após a grande derrota na Segunda Guerra, a Horda conseguiu se reunir novamente com um novo líder, Thrall. Unidos novamente, os Orcs agora precisariam de novos aliados e de uma nova casa, se quisessem sobreviver à um ataque da Aliança, que estava iminente. A partir de agora, a história já é bem mais conhecida pela comunidade, já que é a história contada no Warcraft 3: Reign of Chaos. A Terceira Guerra não é marcada por guerras entre Humanos e Orcs, mas sim por guerras com Humanos e Orcs lutando contra um mal maior.

Com Thrall como warchief, a Horda tomou uma posição mais passiva, evitando conflitos com a Aliança o máximo possível, durante essa época os conflitos se limitavam aos combates para libertação dos prisioneiros nos campos de concentração. E isso continuou até que um misterioso visitante, o profeta Medivh, visitou Thrall e lhe disse que seu povo encontraria uma casa para o oeste, no esquecido continente de Kalimdor.

Medivh não estava fazendo isso para salvar a Horda, seus objetivos eram muito maiores. Ele não ofereceu Kalimdor só

Medivh, o sábio profeta

Medivh, o sábio profeta

para Thrall, ele fez a oferta para vários povos, tudo na tentativa de trazer força suficiente para Kalimdor para proteger a World Tree para quando a Burning Legion chegasse. No entanto, Thrall foi um dos poucos que acreditou nos avisos de Medivh, e ele atravessou, junto com a maior parte da Horda, o mar de Azeroth. Foi durante essa viagem que ele encontrou os Trolls Darkspears e aliou eles com a Horda.

Ao chegar em Kalimdor, a Horda encontrou os taurens xamãs, liderados por Cairne Bloodhoof. Novamente, Thrall conseguiu a aliança dos Taurens com a Horda. Os Taurens precisavam de ajuda contra os centauros e os Orcs precisavam de amigos e guias nessa terra desconhecida. As duas raças viram que tinham muito em comum, exceto o fato de que os Taurens não se perderam no estudo das mágicas negras.

Após ajudar os taurens contra os centauros, Thrall e Grom se separaram durante um curto período, enquanto o clã de Grom coletavam recursos em Ashenvale Forest. Mas Grom teve uma infeliz surpresa ao começar a derrubar as árvores dessas antigas árvores, os elfos da noite estavam ali, e queriam proteger a natureza. Hellscream não recuou e enfrentou os elfos em uma luta sangrenta. Quando Hellscream estava para ser derrotado junto com sua última tropa, uma figurinha apareceu, Mannoroth o Destruídor. Secretamente Mannoroth ofereceu a Hellscream uma forma de conseguir ganhar sua verdadeira fúria e poder, o suficiente para seu povo derrotar os elfos e seu semideus Cenarius, mas para isso Grom precisaria beber de uma fonte contaminada com o sangue de Mannoroth.

Grom conhecia bem o preço de suas ações, mas eles não estava querendo ser derrotado em batalha. Ele e suas tropas beberam da fonte corrompida e foram apoderados com uma força demoníaca. Eles mataram Cenarius e vários elfos com essa fúria de raiva. Após a batalha, Mannoroth se revelou a Grom e tomou seu domínio.

Com Grom sucumbido para a Burning Legion, Medivh visitou Thrall novamente. Os Orcs de Thrall então se uniram com as forças humanas de Jaina Proudmoore a pedido de Medivh, no primeiro movimento de união de Horda e Aliança da história, e juntos eles capturaram o espírito de Grom e libertou ele de sua energia demoníaca. Thrall e Grom então saíram juntos e sozinhos atrás de vingança contra Mannoroth. Os dois derrotaram o pit lord, mas Grom sofreu um ferimento mortal ao salvar a vida de Thrall.

Thrall ficou triste com a morte de seu amigo, que para ele era como um irmão, mas ele sabia que o sacrifício do orc não poderia ser em vão. Com a Burning Legio e a Scourge tomando grande parte de Kalimdor, os orcs e os humanos se aliaram com os elfos da noite e juntos, as três forças lutaram no Monte Hyjal contra o poderoso Archimonde, Lorde da Burning Legion. Foi ali que Archimonde caiu, mas com o custo de muitas vidas de todas as raças. Com isso a Legion recuou e por um breve período de tempo, houve paz.

As várias raças da Legion

As várias raças da Legion

Durante esse período de paz, Thrall fundou a cidade de Orgrimmar, nomeado em homenagem a Ogrimm Doomhammer, nos vales de Durotar, nomeada em homenagem a seu nobre pai Durotan. Jaina e seus humanos e Malfurion e seus elfos da noite, permitiram que a Horda vivesse em paz, e pela primeira vez os taurens construíram sua cidade – Thunder Bluff em Mulgore. Mas não demorou muito para que a tensão florescesse novamente…

Almirante Daelin Proudmoore, um dos líderes da Aliança durante a Segunda Guerra, veio se encontrar com sua filha Jaina. Apesar dos protestos dela, ele lançou um ataque contra os orcs, até que Jaina foi forçada a ajudar a Horda contra seu próprio pai. Thrall honrou o sacrifício, poupando os leais à ela e sua cidade de Theramore, mas a luta provou que uma paz entre a Horda e a Aliança era impossível.

Mais e mais batalhas eclodiram, apesar dos esforços de ambos os líderes em manter suas relações diplomáticas fortalecidas. Porém, quando as nagas emergiram do mar e atacaram ambas as cidades dos orcs e dos humanos, cada lado culpou a facção oposta. E assim, as coisas só pioravam.

Enquanto isso, em Lordaeron, Sylvanas Windrunner, uma banshe e ex-General Ranger de Quel'Thalas, se livrou do controle de Arthas e criou sua própria facção, os Abandonados (Forsaken). Como a situação em Kalimdor ficava cada vez mais sangrenta, Sylvanas ofereceu uma aliança à Thrall, que aceitou de má-gosto. A união dos undeads com a Horda enfureceu ainda mais a Aliança. Enquanto Jaina ainda dava o seu melhor para parar a luta, os humanos de Stormwind tomaram frente contra a Horda novamente, e a situação piorou.

Mais tarde a Horda recebeu um novo aliado, os Elfos do Sangue, e com isso a Horda ficou dividida, entre a Horda do Leste e a do Oeste. A do Oeste, a Horda de Kalimdor, era formada de Taurens, Trolls e Orcs. A Horda do Leste era formada pelos Forsakens e pelos Elfos do Sangue.

As relações entre esses dois grupos não era cordial. Os orcs, taurens e trolls não confiavam nos undeads. Muitos viam os Forsakens como traídores, que se ficavam como aliados enquanto secretamente tinha seus próprios objetivos individualistas. Os elfos do sangue que usavam poder do fel, ofendiam os sensos espirituais dos Taurens, além do que os orcs, taurens e trolls desconfiavam do vício dos elfos do sangue, que os deixavam parecidos com amadores. Os orcs sempre viram nos elfos, seu próprio passado que resultou em uma completa corrupção.Enquanto os elfos acham o resto da Horda bárbaros, que não são espertos o suficiente para aproveitarem o poder que lhes é dado, especialmente os orcs que não conseguiram controlar o poder dado pelos demônios.

E assim se encontra a Horda. No próximo e último capítulo, veremos os últimos acontecimentos dentro da Horda. Não percam.

1 comentários:

Anônimo disse...

vlw ae gostei muito de saber esta hestoria

Postar um comentário

Obrigado por contribuir com seu comentário, a Equipe WOWMestre agradece!

Postagens populares

;